Alimentos Transgênicos no Brasil

Alimentos TransgênicosVocê já reparou o símbolo acima, em algumas embalagens de alimentos no Brasil? Se não, passe a reparar. Ele significa que o produto contém algum ingrediente “OGM” – Organismo Geneticamente Modificado. Pode ser o milho, a soja ou o feijão, ainda em fase de pesquisa.

OGM – O que é um organismo geneticamente modificado?

É um organismo vivo que recebe uma alteração genética, através do seu genoma, que são as informações hereditárias do RNA/DNA. Alteração do seu próprio RNA/DNA, para favorecer características desejadas. Cor, tamanho, etc. Já um organismo transgênico é aquele que recebe um gene, parte do RNA/DNA de outro organismo.

Desde 2005, o Brasil já possui um lei federal que trata do OGM. A lei 11.105/2005, defina as regras e a sua utilização tanto na alimentação, como na agricultura em geral, liberando pesquisas nessa área. Para fiscalização dessas pesquisas e a liberação de alimento OGM, foi criado um órgão, próprio a CTNBio.

O Brasil é o segundo maior em área de cultivos de transgênicos, com 40,3 milhões de hectares. Conforme a CTNBio, o Brasil já possuí 37 eventos agronômicos transgênicos aprovados. Dos quais vacinas para uso animal e alimentos como a soja, o milho, com destaque para o feijão OGM, único produto no mundo desenvolvido por uma instituição pública a EMBRAPA. As lideres em pesquisa de transgênicos são a Monsanto, Cargil, Bayer, todas multinacionais.

salgadinho

Para que as alterações?

O feijão nacional desenvolvido pela EMBRAPA foi alterado para ser mais resistente a uma praga chamada Mosaico Dourado. Em tese, as pragas agrícolas, cada vez mais, conseguem resistir e se adaptar ao uso de agrotóxicos. No caso a alteração aumenta a eficácia do agrotóxico. E para usar menos agrotóxicos, empresas de sementes e produtos agrícolas alteram suas sementes, para que planta seja resistente ao agrotóxico fabricado por ela mesma. Existe no mercado a soja e o milho modificados para esse fim.

Alimentos à Venda

Existe no mercado alimentos com o milho e a soja modificados, obrigatoriamente essas embalagens possuem um triângulo amarelo com a letra “T” no meio, conforme a imagem no começo do artigo. Ao lado ou na descrição dos ingredientes informa qual foi o ingrediente utilizado. Por enquanto no Brasil só o milho e a soja são usados. O Feijão ainda está em fase de teste. Existe uma variedade de alimentos como: preparados para pudim, bolos, sobremesas; Molhos, sopas, doces, chocolates e outros alimentos que à base de milho e soja. Também algumas rações para animais, são fabricadas com transgênicos.

Em tese, se existe rações com milho e soja modificados e os animais como: Aves, suínos, peixes e o gado. Que são o grupo de alimentos de origem animal do Brasil, tem contato com OGM ou transgênicos. Suas embalagens também deveriam ter o rótulo de transgênicos.

pudim

Estudos sobre Transgênicos na alimentação

Existe 2 formas de estudo que podem ser feitas: Prova Negativa e Prova Positiva. Dr. Dráuzio Varella explica no seu site:
“Explico melhor: provar que sardinha enlatada faz mal é fácil; basta saber se quem comeu ficou doente (estudo positivo). Agora, provar que não faz mal (estudo negativo) é outra história. Quantos precisarão comê-la? Milhares ou milhões? Deverão ser acompanhados por quantos anos para ficarmos tranquilos?”

O próprio texto afirma que nos EUA, 70% dos alimentos possuem algum OGM. E a maioria dos estudos de “Prova Positiva”. Por enquanto nenhum relato sobre doença envolvendo transgênicos.

Prova Negativa: no Brasil, recentemente a CTNBio publicou uma opinião técnica divergindo sobre a última pesquisa da Séralini e seus colaboradores em publicação prévia na revista Food and Chemical Toxicology. A pesquisa para avaliar as consequências da alimentação com plantas geneticamente modificadas (GM), no caso o milho, expostas ou não ao herbicida ao qual são resistentes, bem como do herbicida em si, em ratos após longo período de tratamento. A pesquisa afirmou que os ratos desenvolveram câncer. A divergência foi pela metodologia utilizada no estudo, incluindo a linhagem, raça dos ratos e a quantidade de ração.

molho

Conclusão

Como não existe estudos conclusivos sobre os alimentos geneticamente modificados, cabe ao consumidor a escolha de consumir ou não. Por isso a rotulagem obrigatório.

Weblaranja

Fontes:
• http://drauziovarella.com.br/drauzio/reflexoes-transgenicas/
• http://www.ctnbio.gov.br/upd_blob/0001/1752.pdf
• http://www.ctnbio.gov.br
• http://www.anvisa.gov.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current day month ye@r *